• Superior Secundário MEG

  • olooo

FOTOS
VÍDEOS
Ao centro, o ex-bispo de Lorena, Dom Antônio Afonso de Miranda. À esq., o jornalista João Bosco “Paçoca”. À dir., o jornalista Henrique Fatis
EDITORIAS / Gente

Dom Antônio, ex-bispo de Lorena, e sua história com nossa cidade

09/01/2020

Visita ilustre a Lorena! Na tarde desta terça-feira, 7 de janeiro, o ex-bispo de Lorena, Dom Antônio Afonso de Miranda, esteve em Lorena, na Casa Episcopal, onde encontrou-se com os jornalistas João Bosco Pereira de Oliveira, o “Paçoca”, e Henrique Faria, que está finalizando um livro sobre os 100 anos de Dom Antônio.

Para “Paçoca”, foi um momento especial: “Dom Antônio foi o primeiro jornalista responsável pelo Jornal Guaypacaré”, lembra ele, sobre o bispo que está prestes a completar centenário, 100 anos de vida!

“Neste livro que será lançado, sobre sua vida, Dom Antônio fez questão que fossem incluídos os nossos tempos de Guaypacaré, jornal que durou 40 anos, um recorde na Imprensa de Lorena”, registra João Bosco.

Na biografia, Henrique Faria destaca a coragem de um jovem em 1975, não só de fundar um jornal, mas, principalmente, de convidar um bispo da Diocese para ser o seu jornalista responsável. E Dom Antônio aceitou responder profissionalmente pelo novo jornal (como manda a lei), já que o Bosco “Paçoca” era garotão ainda; e naquela época não havia faculdade de Jornalismo e ele não ainda havia obtido o seu registro como jornalista profissional.
O Jornal Guaypacaré agora é saudoso, mas possui uma história que jamais poderá ser apagada: “Nunca fomos sustentados por governos ou grupos políticos, mas sim, sempre, por anunciantes e assinantes… E mesmo tendo sido combativo, nosso Jornal nunca sofreu nenhum processo por calúnia, injúria ou difamação, nenhum pedido de resposta via judicial, nenhuma retratação! Sempre foi democrático, aberto a todos os partidos e correntes de opinião”, afirma João Bosco “Paçoca”, com orgulho.

O jornalista Henrique Faria (ex-Estadão) pretende lançar o livro em Taubaté, onde Dom Antônio é bispo emérito; e também em Lorena, onde ele disse que “passou os mais felizes anos de sua vida”.

 

MAIS LIDAS