• olooo

  • Superior Secundário MEG

FOTOS
VÍDEOS

Com caso confirmado, policiais civis de Lorena não conseguem fazer teste de coronavírus

25/05/2020

* Atualizada às 19h45

Na linha de frente do coronavírus, na área da segurança, policiais civis de Lorena relatam a preocupação com a própria saúde e também da população que atendem. Preocupação que faz sentido, porque no dia 17 de maio, um dos policiais da equipe testou positivo para a Covid-19.

De acordo com a Polícia Civil, pelo menos 6 pessoas tiveram contato direto com ele antes do diagnóstico. E ainda há que se considerar a faxineira que limpa a sala onde ele fica, os policiais que entregam e assumem seus plantões, policiais militares e pessoas da comunidade que precisaram, por alguma razão, comparecer ao plantão policial da Delegacia do Centro.

Segundo informações da Polícia, apesar de terem solicitado à Secretaria de Saúde de Lorena, via ofício, a testagem ao menos das pessoas que tiveram contato direto com o policial doente, a resposta foi que somente as pessoas sintomáticas podem realizar o exame. A seguir, o posicionamento da Secretaria de Saúde da cidade:

“Em que pese a grande relevância do serviço prestado a comunidade, tem o presente a finalidade de informar que conforme ofício nº 032/2020/Planejamento/DRSXVIII os testes rápidos devem ser utilizados de acordo com protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde através da Nota Técnica 11/2020-DESF/SAPS/MS, uma vez que este material não é para testagem indiscriminada da população.

Diante disso, devem ser seguidos os seguintes critérios:

• Profissionais de saúde em atividade na Atenção Primária à Saúde (APS), hospitais, prontos-socorros e unidades de pronto atendimento (UPA) e de gestão vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS): com sintomas compatíveis com síndrome gripal iniciados há pelo menos 8 dias e que esteja há 72 horas assintomático;

• Profissionais de segurança pública em atividade: com sintomas compatíveis com síndrome gripal iniciados há pelo menos 8 dias e que esteja há 72 horas assintomático”.

A Polícia Civil tenta agora, via Ministério Público, autorização para realizar os testes nas pessoas que tiveram contato com o policial. “Recebemos essa informação que não podemos ser testados sem apresentar sintomas, mas é de conhecimento público que pessoas assintomáticas também podem transmitir. E seguimos atendendo à população e tendo contato com nossas famílias nessa incerteza”, afirmam os policiais. “Inclusive, sem qualquer esforço, após saber do policial lorenense com diagnóstico positivo, a Prefeitura de Cachoeira Paulista, a pedido do delegado da cidade, já testou todos os policias de lá”, completam.

O policial civil segue internado, na UTI desde a última sexta-feira, devido ao agravamento de seu quadro.

No início de abril, por iniciativa própria, policiais civis de Lorena já haviam iniciado a higienização dos ambientes de trabalho da Polícia Civil da cidade. Foi o delegado titular do município, dr. Ernani Braga, quem comprou 60 litros de cloro. Os próprios policiais da equipe lorenense fizeram a limpeza das delegacias e da cadeia. Na ocasião, dr. Braga afirmou: “Estamos preocupados não só com a nossa saúde, mas também com a de quem vem até a delegacia registrar um boletim de ocorrência, pedir uma informação. Por isso, nos voluntariamos pra fazer essa desinfecção, de boa vontade. Eu comprei o cloro, um policial trouxe os equipamentos para fazer a higienização e todos estão ajudando. A gente tem que se cuidar, porque nossa profissão não pode parar”.

 

Complementação:

Após a veiculação desta notícia, o Portal O Lorenense recebeu a seguinte mensagem da Secretaria de Comunicação da Prefeitura (às 18h50 de segunda-feira, 25 de maio):

“Com relação aos contatos do profissional de segurança que positivou para Covid-19, informamos que a Secretaria não negou a execução de teste para profissionais da Segurança Pública, mas orienta que o funcionário deve observar se apresenta sintomas e, caso apresente, que procure assistência médica, e que fará o teste cumprindo o protocolo para sua segurança.

Novamente esclarecemos: os testes rápidos só têm resultado seguro após 8 a 10 dias dos sintomas, então não é indicada a testagem aos que estejam assintomáticos.

Informamos ainda que os testes disponibilizados pelo Ministério da Saúde são destinados a profissionais de Saúde, Segurança Pública, gestantes e idosos acima de 60 anos sintomáticos.

Nos colocamos ainda à disposição, se necessário, para qualquer outra orientação técnica”.

MAIS LIDAS