• Superior Secundário MEG

  • olooo

FOTOS
VÍDEOS
COLUNISTAS / Outros papos

“Creatum: CivitasLudens”… porque no final, tudo vira Carnaval!

09/02/2018

É Carnaval… Quanto riso, oh! Quanta alegria! Mais de mil palhaços no salão… Sem dúvida nenhuma, o Brasil mostra sua diversidade cultural principalmente nos dias de Momo. Porém, o Carnaval sempre foi festejado pelo mundo, principalmente em Roma, Paris, Nice e o mais famoso de todos: o Carnaval de Veneza.

Essa cidade realmente desperta o imaginário romântico, com os passeios dos apaixonados em seus canais através das suas gôndolas e a sedução dos seus Casanovas contemporâneos.

E para quem pensa que, na Bahia, o Carnaval começa cedo, é porque não sabe que em Veneza, desde o dia 27 de janeiro, já está aberta a temporada de folia. Nesta data, aconteceu a abertura oficial do Carnaval com o tradicional Vôo do Anjo, um ritual que data dos anos 1500. Trata-se de uma regata nos grandes canais de Veneza com gôndolas e outras embarcações, com pessoas desfilando as mais belas fantasias e máscaras.

É tempo de belos concursos de fantasia, dos tradicionais concursos de máscaras com perucas altas e um desfile de preening, pavoneando foliões chiquérrimos, que ostentamos caríssimos trajes deVintage, Rigueurou Balmasques, com temáticas que remontam à nobreza dos séculos XVII e XVIII.

Os visitantes aumentaram exponencialmente em 2018. Coreanos, japoneses, americanos, franceses, suíços, dinamarqueses, alemães e até – acreditem – brasileiros; estes relatam que gostam de Carnaval, mas preferem fugir da violência que se transformou o Rio de Janeiro…

A tradição dos bailes de máscaras de Veneza remonta à política local do século XVII, quando o Carnaval era o único momento em que aristocratas e camponeses, disfarçados de suas máscaras, faziam suas fantasias juntos e se entregavam em orgias e bebedeiras, atividades ilícitas como jogos de azar, assuntos clandestinos e assassinatos políticos.

No século XVIII, as máscaras foram banidas,sob a alegação que eram usadas para abusos sexuais e outros tipos de violência.

O tema do Carnaval Veneziano para 2018 é “Creatum: CivitasLudens”, traduzido vagamente como “Criatividade: Cidade do Desporto”, evocando o espírito do Carnaval e dos jogos. Porém, no final, tudo vira Carnaval mesmo… até em Veneza!

Desde 27 de janeiro até o dia 13 de fevereiro, visitantes e moradores locais se aglomeram na Praça de São Marcos, pois todo dia há uma festividade diferente.

No sábado, é a vez da Festa Delle Maria, ou desfile das Marias, reportando à tradicional comemoração do resgate das noivas venezianas de piratas há séculos. Nesse dia, 12 mulheres são escolhidas para representar as noivasresgatadas da cidade.

Domingo é a vez de a Águia Mascarada descer da torre do sino de São Marcos e na terça-feira gorda, 13 de fevereiro, a expectativa gira em torno do vôo do Leão. Ambas são muito populares e atraem grande público na Praça São Marcos, mas, por motivos de segurança, os participantes na Praça este ano foram limitados em 20 mil.

Infelizmente, nem Veneza escapa das variações ambientais e muitos dos seus canais estão secos. Mas o grande canal e suas regatas carnavalescas enchem a cidade de alegria e a crise temporária nem está sendo sentida. São as mudanças climáticas!

Assim, vemos mais uma cidade civilizada que mantém sua cultura viva, porque somente para alguns brasileiros mal informados, o “Carnaval não é cultura”…e está morrendo…

COLUNISTAS / Mafu Vieira

Valdemir Vieira, popularmente conhecido como Mafu, é formado em Enfermagem e Obstetrícia pela Unitau, pós-graduado em Terapia Intensiva e mestre em Enfermagem Psiquiátrica pela Escola de Enfermagem da USP, com trabalhos apresentados no Brasil e exterior, além de responsável técnico de Enfermagem do Caps (Centro de Atenção Psicossocial) – Lorena. Professor convidado nos cursos de pós-graduação da Fatea e outras universidades das cidades vizinhas, palestrante dos assuntos de políticas públicas e motivacionais, Mafu também é formado em Professional and Self Coaching, potencializando as lideranças profissionais em diversas empresas e em áreas distintas. Lorenense nato e ex-vereador, está sempre envolvido e atento aos assuntos da cidade e vem, com a mesma performance de colunista que foi do Jornal Guaypacaré, diretamente para a coluna, de mesmo nome, no Portal “O Lorenense”. Com ele, são “Outros Papos”…



maphus@gmail.com

MAIS LIDAS